Notícias - O que acontece - Mídia



07/05/2016
AlmavivA patrocina Orquestra da Academia Nacional Santa Cecilia


A AlmavivA do Brasil patrocina a turnê da Orquestra da Academia Nacional Santa Cecilia no País. A orquestra italiana se apresentou neste sábado (7) e domingo (8), na Sala São Paulo, com a regência de Antonio Pappano - um dos grandes regentes da atualidade - e com Beatrice Rana ao piano.

“Nossa companhia orgulha-se de participar da vinda ao Brasil da principal orquestra italiana, uma vez que acredita no poder que a educação e a cultura têm para o desenvolvimento do País, no qual a empresa emprega 32 mil colaboradores, sendo 60% em primeiro emprego”, comemora Francesco Renzetti, CEO da AlmavivA do Brasil.

A Orquestra da Academia Nacional Santa Cecilia foi o primeiro conjunto italiano que se dedicou exclusivamente ao repertório sinfônico, promovendo estreias de grandes obras-primas de 1900, como Fontes de Roma e Pinheiros de Roma de Respighi. Fundada em 1908, a orquestra foi conduzida por algumas das principais figuras musicais do século 20: como Mahler, Debussy, Saint-Saëns, Strauss, Stravinsky, Sibelius, Hindemith, Toscanini, Furtwängler, De Sabata, Karajan e Abbado para os artistas mais impressionantes do nosso tempo incluindo Muti, Gergiev e Thielemann, enquanto Bernardino Molinari, Franco Ferrara, Fernando Previtali, Igor Markevitch, Thomas Schippers, Giuseppe Sinopoli, Daniele Gatti e Myung-Whun Chung foram seus diretores musicais. Leonard Bernstein foi presidente de 1983 a 1990.

Com Antonio Pappano no papel de diretor musical desde 2005, o desenvolvimento da orquestra tem tido um sucesso extraordinário, construindo uma reputação internacional. Com Pappano na direção, a orquestra tem participado de alguns dos principais festivais de música, incluindo The Proms em Londres (Inglaterra), White Nights em São Petersburgo (Rússia), Festival de Lucerna (Suíça), Festival de Salzburgo (Áustria), e já se apresentou em alguns locais mais conhecidos pela maioria do mundo, incluindo a Philharmonie em Berlim (Alemanha), Musikverein em Viena (Itália), Concertgebouw em Amsterdã (Holanda), Royal Albert Hall em Londres (Inglaterra), Salle Pleyel em Paris (França), La Scala em Milão (Espanha) e Suntory Hall em Tóquio (Japão).

Os lançamentos, sob o comando de Pappano, incluem Madama Butterfly de Puccini (com Angela Gheorghiu, a gravação ganhou um Brit Award), Requiem de Verdi (Gramophone Award, BBC Music Magazine, Brit Classical) e o Stabat Mater de Rossini e Pergolesi com Anna Netrebko (Gramophone Editors Choice Award). Gravado recentemente, o Aida de Verdi, que apresenta um elenco estelar (Anja Harteros, Jonas Kaufmann e Erwin Schrott), levou para casa vários prêmios: Melhor Gravação de 2015 para a The New York Times e para o The Telegraph, Melhor Ópera 2015 - Apple Music, Choc Classica de l 'année, Diapason D'or e Choix de France Musique, gravação do mês em um gramofone. Um CD também saiu em 2015, com o Piano Concerto nº 1 de Tchaikovsky e Piano Concerto nº 2 de Prokofiev, realizado por Beatrice Rana, e para a Decca, o Concerto de Violino de Brahms, com Janine Jansen.