As vantagens da união entre tecnologia, humanos e dados Notícias

Acompanhe nossas notícias e eventos

As vantagens da união entre tecnologia, humanos e dados

Detentora de tecnologia e prestadora de serviços de BPO, a AlmavivA se transformou em uma das referências no mercado em que atua

Data: 18.06.2019
As vantagens da união entre tecnologia, humanos e dados As vantagens da união entre tecnologia, humanos e dados

Em entrevista à Consumidor Moderno, Francesco Renzetti, CEO da AlmavivA do Brasil, explicou as estratégias da empresa e apresentou sua visão sobre a relevância do uso de dados no mundo de hoje.

“Os dados dos clientes, utilizados de uma forma estruturada, possibilitam a definição de diversas estratégias de abordagem, e, com a utilização da Inteligência Artificial (IA) e de ferramentas robustas de apoio à operação, conseguimos fazer com que os nossos clientes sejam efetivos na construção de uma boa jornada de atendimento. É fundamental ter um front-end capaz de ajudar os nossos operadores a encontrar, de forma rápida e assertiva, as informações necessárias para atender às exigências dos consumidores dentro dos sistemas dos nossos clientes. Trabalhamos fortemente nisso há muito tempo e, por esse motivo, temos obtido resultados muito bons. Hoje, eu diria que possuímos, no Brasil, uma boa conexão entre os sistemas dos clientes e a nossa tecnologia.”

“A AlmavivA, mundialmente, caminha sobre duas pernas: a tecnologia e o CRM. Além disso, temos como característica ser uma empresa ágil, na qual as decisões são tomadas de forma muito dinâmica, e isso nos proporciona algo único, pois permite uma troca contínua entre o mundo operacional e o mundo tecnológico. Todos os nossos softwares para CRM são desenvolvidos com base na nossa experiência concreta, e, antes de levarmos ao mercado, pilotamos as operações. Isso é um diferencial muito importante, até porque estamos falando de tecnologia para ajudar seres humanos a trabalharem de forma mais eficiente, garantindo mais qualidade para a experiência dos consumidores”, disse o Francesco Renzetti.

Para ler a entrevista completa